O FIO DA VIDA

A palavra fio tem a origem do latim filum que também dá origem a palavra fila.
Ao entrar na fila da Vida, fui seguindo os que estavam a minha frente e que organizavam o meu tear da Vida: meus pais, meus mestres…
Me deram o fio da meada!
Sem saber o que eu iria tecer, fui buscando moldes, copiando modas, embaraçando linhas…
E na minha juventude-aflita, tive nuita pressa de tecer a Vida, então furei filas e saltei muitos pontos…
Aí descosturou tudo e tive que refazer todo o trabalho, neste grande tear de Deus.
E por muitas vezes, aconteceu também deu me distrair do trabalho em tecer a minha vida.
Aí a fila da Vida andou e eu fiquei parada…
Já hoje, na maturidade, reorganizo meus novelos, minhas linhas de costura, reciclo tecidos, remendo minhas histórias.
A tesoura me acompanha. Sempre sobram linhas e algumas costuras ficam mal feitas…
Já passei dias desmanchando costuras!
Por fim, me tornei a tecelã deste tecido chamado Minha Vida.
Tecido não está por tecer. É o que se teceu. Que foi feito no tear. Urdido, preparado, combinado.
Tecido é aquilo que é convenientemente e criativamente arranjado, ordenado, apropriado.
Tem formas, tem cores, tem sabedoria, tem noção de conjunto.
O tecido da Vida, produzido por entre fios e filas, funciona assim: se organiza, desorganiza, anda, pára, desmembra, dá voltas, atravessa distâncias, une pessoas, separa outras, acolhe novos integrantes, perde tantos outros…
O tecido da Vida é muito dinâmico.
E para não perdermos o fio da meada, devemos lembrar que a Vida está sempre por um fio!!

 

Texto escrito por:
WhatsApp%20Image%202018-05-25%20at%2021_
Psicóloga – CRP 04/7521
Psicoterapeuta Familiar Sistêmica (Brasil)
Formação em Psicogenealogia (Itália)
error: