SINTOMA SEXUAL

Muitas vezes é em torno de um sintoma que se cria uma relação afetiva. É algo muito dúbio, mas muito real.

A pergunta é:

O que é um sintoma sexual?

– um déficit ? “me falta isto.”

– uma incapacidade? “não sou capaz.”

– uma inadequação? “estou inadequado.”

– um peso doloroso? “não tenho ereção”; “não tenho prazer.”

A função do Terapeuta de casal & sexual sistêmico é aceitar esta descrição e buscar a questão relacional:

– Isto é um problema?

– Para quem é um problema?

– Em relação a que?

Se conseguimos ver o sintoma como uma questão relacional, conseguimos mexer na estabilidade do sintoma, naquilo que ele faz sentido naquele momento para aquele casal.

**Muitas vezes um sintoma é a solução de um problema.

Sintoma sexual por si só pode ser uma escolha, como a solução de um problema.

Tem uma função adaptativa em um momento de cansaço, de stress ou como uma resposta a um comportamento do parceiro.

**Os sintomas falam, dizem coisas…

Perguntas sistêmicas:

– O que a sua dificuldade sexual diz ao seu marido?

– A ejaculação precoce do seu marido quer dizer o quê a você?

– O sexo é um problema para você?

– O que aconteceria com vocês caso o sexo funcionasse muito bem?

O sistema influencia a produção do sintoma e quando tem um sintoma todo o sistema se organiza em torno dele.

Quando tem um problema sexual, é provável que o casal não se sinta mais casal, mas podem viver juntos em torno disto por muitos e muitos anos.

Cria-se uma estabilidade relacional.

Nota: o terapeuta sexual sistêmico não pode perder de vista o aspecto comunicativo do sintoma.

Dott.ssa Teresa Arcelloni

Psiquiatra, Psicoterapeuta Sexual Sistemica, Professora formadora do Centro Milanese di Terapia della Famiglia, Italia.

Ministra seminários, além da Itália, em vários países – Alemanha, Chile, México, Brasil.

CURSO INTERNACIONAL

em 33 vídeo-aulas

TERAPIA DE CASAL & TERAPIA SEXUAL SISTÊMICA

11209541_1593828114191829_22596228514547

Com as formadoras:

Dott.ssa TERESA ARCELLONI

e Dott.ssa GLORIA FERRERO

error: